SerradoCipo.com.br

Nos propomos a ser um espaço aberto para todos aqueles que amam a Serra do Cipó.  Fique à vontade, participe, sugira.

 

Assine nossa newsletter

Curiosidades

José Patrício, nosso personagem, vagava pelos campos da Serra do Cipó colhendo flores, mudas e raízes para oferecê-las aos turistas ou trocá-las por coisas de seu interesse: cinzeiros, isqueiros, um lanche. Qualquer coisa servia!

 

De traços rudes, fustigados pelas intempéries, mais a extrema dedicação pela Natureza e o amor pela montanha, Juquinha quase se confundia com a paisagem, o que acabou lhe valendo uma mística de histórias e lendas. Sua simplicidade, sua obstinação e seu apego à montanha acabou por torná-lo uma figura altamente popular e querida por turistas de todas as partes.

 

Como todo ser lendário o Juquinha da Serra, mesmo após a sua morte, incorporou-se à paisagem local e jamais deixou de existir na mente dos moradores e de todos que o conheceram.

 

Em 1987 o então prefeito de Morro do Pilar, Sr.Clélio Lima, resolveu materializar ali, no alto da montanha, a figura inesquecível de Juquinha, decisão esta que foi aprovada e seguida pelo Sr. Sebastião Soares dos Santos, então prefeito de Conceição do Mato Dentro.

 

A idéia era erguer ali no ermo da montanha, circulada pela Natureza agreste e paisagem exuberante, uma estátua do Juquinha . A responsabilidade do trabalho caiu sobre uma jovem artista, à época recém formada em Belas Artes, Virginia Ferreira, que residiu no alto da montanha por oito meses até completar sua obra.

 

Para Virgínia, Juquinha é mais um mito, materialização de um sentimento que cada vez mais se faz necessário entre a humanidade. Sentimento de respeito e de preservação do meio-ambiente. Uma atitude que cada vez mais se torna indispensável para a continuidade da vida no planeta.

 

Causos do Juquinha

 

"Meu marido por vezes encontrava com o juquinha, no ônibus. Ele entrava com uma cesta de taquara, com laranjas, bananas, sempre vivas.... Pegava "carona" no ônibus que ia em sentido a Belo Horizonte e descia sempre em São José de Almeida. Todos os motoristas o conheciam e davam carona. A figura dele é tal como retratada na estátua da Serra. Andava com uma bengala, em virtude da dificuldade por um problema na perna e sempre com aquele chapéu!" Flávia Lilian.